.

Viajando Sozinha: os primeiros passos para chegar lá



Na primeira postagem da série, contei sobre o conflito que aflige a maioria das mulheres, sobre este assunto: a vontade X a coragem.

Relatei também sobre o meu desafio pessoal e como estou disposta a vencê-lo.

Já que eu não gostava de passear sozinha nem sequer pela minha cidade, ao invés de encarar logo de cara uma viagem solo, decidi dar um passo de cada vez e começar fazendo coisas que geralmente não fazia sozinha, como por exemplo, ir ao teatro, museus e visitar exposições.

Não vou dizer que foi fácil, mas consegui e hoje tiro de letra ;) Veja como tudo começou e inspira-se!

Exposição: O mundo segundo Mafalda
Exposição: O mundo segundo Mafalda

Exposição:
A primeira exposição que eu visitei sozinha foi O mundo segundo Mafalda, na Praça das Artes. Aproveitei a folga de final de ano e fui.

Adorei! Ri vendo as invenções da esperta Mafalda, ao ler as histórinhas "me peguei" algumas vezes "pensando em voz alta" hehehe, tipo louca exclamava "Nossa!" - "Que legal!", mas e daí? kkkkk O importante é que aproveitei bastante, fiz tudo no meu tempo, do jeito que eu queria.

No local, havia espaços reservados para registrar a visita, nessa hora tive que pedir para alguém me fotografar.

Essa é uma das piores partes de sair sozinha, ao menos para mim que até hoje não sei tirar selfie direito rs

Observei os outros visitantes e escolhi para quem ia pedir esse favor. Foi mais tranquilo do que eu pensava, as pessoas foram solícitas e muito simpáticas. 

Resumindo, a decisão de sair sozinha foi muito mais difícil do que o próprio passeio em si

Isso deixou-me mais confiante, tanto que depois dela, fui a várias exposições sozinha: Picasso, Castelo Rá Tim Bum, Kandinsky, Novelas de Globo entre outras.

Teatro:
Minha primeira ida sozinha ao teatro, não foi por minha vontade. Na verdade, eu iria com uma amiga, mas ela teve um imprevisto e não pôde comparecer.

Como era uma peça que eu queria muito ver, pensei “chegou a hora de fazer diferente, não deixarei de ir por causa disso” e fui!

Confesso que ao entrar e seguir para o meu assento, achei tão estranho rs, não sei explicar, mas quem é acostumado a fazer esses programas sempre acompanhada e de repente se vê só, vai entender o que eu senti hehehe

Mas quando a peça começou eu já nem lembrava mais disso, me diverti muito, foi ótimo e no final me arrependi de não ter feito isso antes.

Conclusão:
Passado o desconforto inicial, consegui aproveitar o melhor que esta situação pode proporcionar: a autonomia! Não tem coisa melhor do que fazer o quiser, na hora e momento que desejar, sem ter que negociar com ninguém, afinal o que prevalece é a SUA vontade!

Isso não significa que agora só saio sozinha, não quero mais companhia, não é isso! Mas sim, que posso sair sozinha quando for preciso e, o MELHOR de tudo, quando eu quiser!

Portanto, se você é o tipo de pessoa que nem ao menos cogita a ideia de passear só e que por falta de companhia deixa de ir a lugares que tanto gostaria, faça como eu! Mude de atitude! Não dependa de ninguém para se divertir!

No começo pode parecer estranho, mas tudo é questão de costume e quando menos notar já estará naturalmente segura. Faça o teste e compartilhe conosco! Deixe seu comentário! 

Gostou? Então não perca os próximos capítulos desta série. 

Aproveite também para seguir o blog nas redes sociais!

   

Abraços e até o próximo embarque!

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Sua participação é muito importante para nós!