.

Curiosidades no Dia da Árvore

Diversas árvores
(Fotos: Simone Silva)

Olá pessoal! Em comemoração ao Dia da Árvore, o post de hoje será diferente. Ao invés de contar sobre eventos e lugares, trago algumas curiosidades sobre árvores que devido a sua importância histórica, tornaram-se pontos turísticos. 

Entre tantas opções, escolhi relatar sobre três delas. Confiram:

Maria Gorda:
É um belo exemplar de baobá localizado na Ilha de Paquetá, um lugar bucólico da Baía de Guanabara / RJ.

Essa espécie é originária do continente africano e pode chegar a 25 metros de altura e até 8 metros de circunferência.

O exemplar de Paquetá foi trazido pelo médico e professor botânico José Caetano de Almeida Gomes, em 1907 e foi tombado pelo decreto de 1967.

Ao longo dos seus 107 aninhos, a “Maria Gorda” já alcançou mais de 3 metros de largura. Vejam na foto abaixo, a diferença dela diante das demais árvores:

Árvore Maria Gorda em Paquetá
Árvore "Maria Gorda" (Foto: Simone Silva)

Conheci esse encanto de baobá há quase 20 anos, quando estive pela primeira vez na Ilha de Paquetá.

Há muitas lendas em torno da “Maria Gorda”, uma delas está gravada na placa encontrada ao seu pé:

Lenda:
“Sorte por longo prazo
a quem me beija e respeita,
mas sete anos de atraso
a cada maldade, a mim feita.”
O Baobá (MDC XXVII).


Essa lenda deveria servir para todos que por estupidez e/ou maldade, agridem quaisquer espécies de árvores.

Figueira Secular:
Já mencionei sobre esta figueira aqui. No entanto, hoje contarei um pouco mais a seu respeito.

Localizada na entrada da Fazenda Capoava em Itu/SP, esta árvore constava como marco da fazenda em uma das escrituras, datada de 1881.

Figueira secular na Fazenda Capoava
Figueira secular (Foto: Simone Silva)

Reza a lenda que durante o plantio de café, os escravos não derrubavam essa espécie, por considerá-la sagrada. 

Pau da Missa:
É um eucalipto centenário localizado na Vila de Paranapiacaba, em Santo André/SP.

Durante a implantação da Vila Inglesa, o tronco desta árvore serviu como mural de recados. Era um meio de comunicação entre as partes Alta e Baixa da vila.

Recebeu esse nome, pois os avisos deixados em seu tronco eram principalmente, sobre falecimentos e missas de sétimo dia.

Pau da missa em Paranapiacaba
Pau da missa (Foto: Simone Silva)

Por esse mesmo motivo é que surgiram lendas em torno do "Pau da Missa".

Uma delas conta sobre a consagração desta árvore como um "Portal com o Além".

A comunicação consiste em estar ao pé da árvore à meia noite e pronunciar o nome da pessoa falecida, com quem deseja se comunicar. Segundo a lenda, a resposta não costuma falhar. Ui....alguém se habilita? Eu não! rs

Para terminar em grande estilo rs, deixo esse belo poema de Olavo Bilac:

"Velhas Árvores

Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores novas, mais amigas:
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...

O homem, a fera, e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.

Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem:

Na glória da alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!"
(Olavo Bilac)

Gostaram desta singela homenagem ao Dia da Árvore? E vocês, quais exemplares conhecem? Deixem seus comentários!


2 comentários:

  1. Eu não sabia que hoje era dia da árvore.. rs agora já sei!
    Muito legal por um poema.. Adorei :)

    www.kamiladel8.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! Sua participação é muito importante para nós!